Graduação / Química
Notícias
Química
22/06/2017 - 08:33
Química, uma ciência que transforma
No dia em que se comemora a criação da Lei Mater dos Químicos, 18 de junho, é celebrada a importância de um profissional essencial para a existência de produtos e processos inovadores
Química, uma ciência que transforma Foto: Carolina Matos
Com o advento da Lei Mater dos Químicos, Lei nº 2.800 de 1956, o exercício profissional da Química foi regulamentado e reconhecido no país, com contribuições no progresso tecnológico e na qualidade dos produtos nacionais. No Dia do Químico, comemorado em 18 de junho, data de criação do Conselho Federal de Química (CFQ) e dos Conselhos Regionais de Química (CRQs), a professora do curso de Química da Universidade Católica de Brasília (UCB), Silvia Keli de Barros Alcanfor, relembra sua história de 30 anos com a profissão e a série de descobertas ao longo da carreira acadêmica.

Distante de uma família de pesquisadores, o pai administrador e a mãe matemática, Silvia Alcanfor sempre teve afinidade com a investigação e era apaixonada por pesquisa desde a infância. “Gostava de jogos que me desafiavam a construir e modificar coisas. Então, me encantei pelo aeromodelismo ao construir aviões. Já criava produtos sem saber”.

O sonho de se tornar uma pesquisadora surgia em conjunto com a preocupação de descobrir a cura para o câncer, uma doença desconhecida e emblemática na época. “Queria cursar Medicina para mudar a vida das pessoas. No entanto, queria ser uma médica que viajava pelo mundo em seu trailer num consultório ambulante. Isso é uma utopia! Minha ideia era transformar e modificar a qualidade de vida das pessoas. Achava que assim seria cientista para trabalhar com pesquisas”.

No entanto, a escolha pela Química se sobressaiu diante do desconforto que sentia em estar em hospitais. Em um congresso acadêmico fora de Brasília, quando se deparou com temáticas diferentes, ela conheceu a química analítica e investigativa, que busca soluções. “Definitivamente, desisti da Medicina. Essa era a química que eu queria! Era a possibilidade de desenvolver novos métodos que pudessem contribuir com controle de qualidade”, comemorou.

Ainda na graduação, Silvia recorda-se de ter ganhado seu “primeiro metro de bancada”, oferecido pelo seu professor. “Então, propus uma pesquisa para ele sobre reaproveitamento do iodo na água. Hoje, vejo que a estratégia dele era me inserir na pesquisa, o que me instigou a fazer o mestrado. Na pós-graduação, curiosamente, trabalhei com a pesquisa de uma substância contida no ipê amarelo, que combate o câncer de pele”. Depois de ser aprovada, tornou-se professora da UCB, no início da implementação dos Programas de Pós-Graduação da Católica. “Aprendi a Química sob o aspecto da docência e da pesquisa”, frisou.

Desde as primeiras civilizações, os fenômenos químicos existem e são estudados há muitos séculos, seja na utilização de pigmentos naturais em cavernas ou, na modernidade, na tintura de jeans, camisetas, refrigerantes e sucos. A Química se divide classicamente em quatro áreas: orgânica, inorgânica, físico-química e a analítica, sua preferência, que busca a análise de qualidade e novos métodos e técnicas.

Hoje, a doutora em Química pela Universidade Johannes Gutenberg de Mainz (JGUM), na Alemanha, um dos berços da indústria química no Mundo, orgulha-se de ter seguido na profissão. Como bolsista do Deutscher Akademischer Austauschdienst (DAAD), um programa de fomento do país, ela conta que teve que superar a barreira de ser mulher e brasileira ao pleitear um título de doutora na Alemanha, um país que possui um corpo docente universitário, majoritariamente, formado por homens. “Foi um aprendizado fantástico! Eles não compreendiam como eu era professora e chegavam a questionar o meu título. Tive que provar que era capaz. Lá, participei de um congresso onde estavam reunidos os maiores pesquisadores da Química e personalidades que descobriram e nomearam métodos conhecidos da ciência. E pensei: os pensantes da Química existem e transitam por onde eu ando! Não é algo distante. Eles são livros ambulantes com os quais você pode conversar”, riu.

Quando seu filho tinha apenas três anos, Silvia teve um desafio a cumprir: definir a profissão de química para uma criança. Então, lançou: “Química é a ciência que transforma as coisas!”. Presente em todos os ramos, com a descoberta de novos produtos, aplicações e substâncias, a Química está na base do desenvolvimento econômico e tecnológico. Para atuar na área é preciso ter espírito investigativo, curiosidade, facilidade de lidar com cálculos, paciência e exatidão. Os anos passados ao lado da Química fizeram com que Silvia chegasse a diversas conclusões: “a qualidade para ser um químico é ter poder de abstração e de observação sobre o que acontece ao seu redor. Ser curioso é um indício positivo de que ele pode ser um bom químico”.

O químico pode produzir novos materiais que atendem às necessidades da sociedade ao compreender como as coisas se transformam e investigar matéria, composição, propriedades e reações entre variações de temperatura, pressão atmosférica, luz e outros fatores. Listada entre as oito profissões do futuro, a Química é essencial para o crescimento do país na busca por fontes de energia renováveis. “Hoje, a Química não é somente uma tabela periódica, mas é um suporte do desenvolvimento e a base da evolução tecnológica. A necessidade do químico é cada vez mais visível, com questões ligadas ao meio ambiente, em estudos de controle de água, lixo, esgoto, atmosférico. Para lidar com isso, é preciso compreender os processos químicos para saber controlá-los ao entender como os processos, reações e transformações ocorrem”, concluiu.

Anny Cassimira

Ir para o menu
Encontre tudo
Redes sociais da UCB
Universidade Católica de Brasília
Câmpus I - QS 07 – Lote 01 – EPCT – Taguatinga – Brasília – DF CEP: 71966-700 - (61) 3356-9000
Câmpus Avançado Asa Norte - SGAN 916 Módulo B Avenida W5 - CEP: 70790-160 - Brasília/DF - Telefone: (61) 3448-7116
Câmpus Avançado Asa Sul - SHIGS 702 Conjunto 2 Bloco A, Brasília, Distrito Federal 70330-710, Brasil
Quem faz? Moringa Digital