Graduação / Farmácia
Notícias
Farmácia
11/06/2015 - 16:07
I Encontro com a Escola de Saúde
Com o tema “Consciência Profissional no Cuidado com a Vida”, evento integra todos os cursos da área de saúde da UCB
  • I Encontro com a Escola de Saúde
  • I Encontro com a Escola de Saúde
  • I Encontro com a Escola de Saúde
  • I Encontro com a Escola de Saúde
  • I Encontro com a Escola de Saúde
  • I Encontro com a Escola de Saúde
  • I Encontro com a Escola de Saúde
Esquerda Fotos: Faiara Assis Direita
A Escola de Saúde da Universidade Católica de Brasília realizou, no dia 10 de junho, o “I Encontro com a Escola de Saúde”, no Câmpus I. Com o tema “Consciência Profissional no Cuidado com a Vida”, o evento contou com a participação de profissionais renomados da área, professores, além de estudantes da Graduação e Pós-Graduação da UCB.

“Realizamos esse evento para mostrar o cuidado, não só com a vida humana, mas com todas as formas de vida. Escolhemos um tema amplo que contemplasse todos os cursos. Com uma programação rica, queremos mostrar toda a integração da área de Saúde. São dez cursos de Graduação e três Programas de Pós-Graduação, na área de saúde”, relata a diretora da Escola de Saúde, Profa. Drª Aline Cabral Braga de Medeiros.

O Pró-Reitor Acadêmico, Prof. Dr. Daniel Rey de Carvalho, explicou que esse evento é a formalização de uma ideia que nasceu da necessidade de integrar ensino, pesquisa e extensão. “Esse projeto começou lá atrás com o Núcleo de Formação Básica e a pretensão era virar um encontro da Escola de Saúde que hoje se concretiza. O objetivo maior, além de discutir a temática, é envolver estudantes de vários níveis de Graduação, Pós-Graduação e diferentes cursos. As nossas expectativas são de discutir a temática e fazer essa integração entre os estudantes”.

O coordenador do Núcleo de Formação Básica da Escola de Saúde e organizador do evento, Prof. Dr. Christiano Gati, ressalta que “a saúde é uma coisa só. Todos os profissionais devem trabalhar de forma integrada para que possamos ter uma atenção maior e um cuidado pleno com a vida. Esse é um dos primeiros eventos de vários que faremos, em busca sempre de mobilizar todos os profissionais da área, para trabalharmos de forma conjunta e unida na promoção da saúde”.

Para o coordenador do curso de Odontologia, Prof. Dr. Eric Franco, “os estudantes ganham muito com esse encontro e a equipe da Escola de Saúde, junto à Escola de Medicina, também se fortalece. Essa é uma iniciativa importantíssima, no sentido de que realmente os cursos têm que trabalhar em equipe. Essa visão interdisciplinar, ou ate transdisciplinar, é o que buscamos dentro da formação dos estudantes da área de saúde”, declara.

O estudante do 1º semestre do curso de Educação Física e vice-presidente do Centro Acadêmico, Yago Rean, 18 anos, estava entusiasmado em participar de forma ativa no evento. “Uma experiência única poder, ainda no início da minha jornada acadêmica, participar da organização desse encontro. Me envolvo em tudo o que posso na Católica, pois estudar aqui me motiva”, destaca.

Gincana


Com o objetivo de colaborar com o número de voluntários para doação de medula óssea no Distrito Federal, a professora Claudia Garcia, lançou durante o I Encontro com a Escola de Saúde, uma gincana entre os estudantes.

“A ideia é que cada coordenador de curso estimule seus estudantes para ir ate o hemocentro fazer seu cadastro. Será coletada uma amostra de sangue, que será enviado para um banco no INCA. Essa pessoa que se cadastra pode ser chamada para doar em qualquer lugar do país. A ideia é acharmos aqui na UCB qual o curso que percentualmente terá mais doadores”, explica a professora. “A gincana será realizada até o dia 20 de junho, mas quem quiser se cadastrar e convidar amigos e familiares serão mais que bem-vindos”, complementa.

Passo a passo para se tornar um doador

- Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde poderá doar medula óssea. Esta é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções, sob anestesia, e se recompõe em apenas 15 dias.

- Os doadores preenchem um formulário com dados pessoais e é coletada uma amostra de sangue com 5ml para testes. Estes testes determinam as características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente.

- Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados em um sistema informatizado que realiza o cruzamento com dados dos pacientes que estão necessitando de um transplante.

- Em caso de compatibilidade com um paciente, o doador é então chamado para exames complementares e para realizar a doação.

- Tudo seria muito simples e fácil, se não fosse o problema da compatibilidade entre as células do doador e do receptor. A chance de encontrar uma medula compatível é, em média, de UMA EM CEM MIL!

- Por isso, são organizados Registros de Doadores Voluntários de Medula Óssea, cuja função é cadastrar pessoas dispostas a doar. Quando um paciente necessita de transplante e não possui um doador na família, esse cadastro é consultado. Se for encontrado um doador compatível, ele será convidado a fazer a doação.

- Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro. Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte.

- A doação de medula óssea é um gesto de solidariedade e de amor ao próximo.

- É muito importante que sejam mantidos atualizados os dados cadastrais para facilitar e agilizar a chamada do doador no momento exato.

Caso você decida doar

- Você precisa ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado geral de saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante). Lembre-se que uma vez no cadastro, poderá ser chamado, se identificado como compatível com algum paciente, até os 60 anos.

Onde e quando doar

- É possível se cadastrar como doador voluntário de medula óssea nos Hemocentros nos estados.

Como é feita a doação

- Será retirada por sua veia uma pequena quantidade de sangue (5 a 10ml) e preenchida uma ficha com informações pessoais.

- Seu sangue será tipificado por exame de histocompatibilidade (HLA), que é um teste de laboratório para identificar suas características genéticas que podem influenciar no transplante. Seu tipo de HLA será incluído no cadastro. Os resultados são confidenciais e servem apenas para os fins do REDOME.

- Seus dados serão cruzados com os dos pacientes que precisam de transplante de medula óssea constantemente. Se você for compatível com algum paciente, outros exames de sangue serão necessários.

- Se a compatibilidade for confirmada, você será consultado para confirmar que deseja realizar a doação. Seu atual estado de saúde será avaliado.

- A doação é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação por um mínimo de 24 horas. Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples. Normalmente, os doadores retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana.

- Existe uma outra forma de obtenção das células-tronco da medula óssea, que utiliza uma máquina específica (aférese) para separar do sangue periférico (corrente sanguínea), as células necessárias para o transplante. Neste caso, o doador tem que receber um medicamento antes da doação (fator de crescimento), que estimula a medula óssea a liberar estas células para a corrente sanguínea. Esta técnica só é utilizada em casos específicos, sob decisão médica e com consentimento do doador.

Serviço
Fundação Hemocentro de Brasília
Hospital Base - SMHN, Quadra 101, Bloco A , Mezanino - Brasília (DF)
CEP: 70.335-900
Telefone: (61) 33255055


Juliana Tito

Ir para o menu
Encontre tudo
Redes sociais da UCB
Universidade Católica de Brasília
Câmpus I - QS 07 – Lote 01 – EPCT – Taguatinga – Brasília – DF CEP: 71966-700 - (61) 3356-9000
Câmpus Avançado Asa Norte - SGAN 916 Módulo B Avenida W5 - CEP: 70790-160 - Brasília/DF - Telefone: (61) 3448-7116
Câmpus Avançado Asa Sul - SHIGS 702 Conjunto 2 Bloco A, Brasília, Distrito Federal 70330-710, Brasil
Quem faz? Moringa Digital