Tecnológicos / Gestão da Tecnologia da Informação
Notícias
Gestão da Tecnologia da Informação
30/05/2016 - 17:48
Aplicativo brasileiro sobre gravidez é desenvolvido na UCB
Voltado ao acompanhamento semanal de gestantes e mulheres que desejam engravidar, o app Mami, feito por estudantes do Programa BEPiD, fornece dicas inéditas sobre saúde, beleza, direitos e bem-estar
  • Aplicativo brasileiro sobre gravidez é desenvolvido na UCB
  • Aplicativo brasileiro sobre gravidez é desenvolvido na UCB
  • Aplicativo brasileiro sobre gravidez é desenvolvido na UCB
  • Aplicativo brasileiro sobre gravidez é desenvolvido na UCB
Esquerda Foto: Divulgação Direita
O aplicativo Mami, desenvolvido por um grupo de estudantes do Programa Educacional Brasileiro de Desenvolvimento para iOS (BEPiD), da Universidade Católica de Brasília (UCB), sob a supervisão do curso de Medicina e de Ciência da Computação, traz uma série de informações importantes sobre a gravidez para auxiliar gestantes e mulheres que desejam engravidar.

Lançado em novembro de 2015, o aplicativo tem o objetivo de acompanhar o desenvolvimento da gestação semanalmente, além de fornecer informações sobre saúde, beleza, direitos e bem-estar ainda não disponibilizados em nenhum outro aplicativo da área. Em destaque na categoria Medicina, na Apple Store, desde a sua última atualização, feita no dia 6 de maio de 2016, o aplicativo já soma mais de 1.000 downloads. O Mami surgiu a partir de sugestões de aplicativos cívicos sociais propostos pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Para o professor do BEPiD, Jair Barbosa, “O aplicativo foi criado para acompanhar a gestação das futuras mães brasileiras e ainda recordar momentos especiais dessa fase tão importante da vida. Utilizamos o processo chamado CBL (Challenge Based Learning) criado por cientistas e indicado pela empresa e o desafio foi verificado com especialistas da área de saúde com o objetivo de ajudar as gestantes e famílias sobre o acompanhamento de todo o período de gestação”.

Os responsáveis pelo desenvolvimento do aplicativo foram os estudantes Everton Miranda Vitório, Dennis Lúcio Merli Rodrigues, Felipe Augusto Pimentel Perius e Jonathan Nobre Ferreira, sob a coordenação do professor Mauricio Borges Pereira Junior, do BEPiD e do curso de Ciência da Computação, e colaboração da professora Thalita Ramos Ribeiro, do curso de Medicina, com diversas reuniões para validação de conteúdo e informações sobre gestantes. “A Dra. Thalita Ribeiro nos auxiliou a entender o mundo das mamães para que o produto final fosse o mais próximo da realidade. Queríamos criar uma ferramenta que pudesse trazer informações sobre as políticas públicas das gestantes de forma criativa e divertida, com a esperança de contribuir para a redução da mortalidade fetal e neonatal, que podem ser resultado de uma gestação mal acompanhada”, afirmou o desenvolvedor Jonathan Ferreira.

Mami

Apesar de existirem várias opções nas lojas de aplicativos para ajudar a mãe a “gerenciar” sua gestação, o Mami é focado especialmente na mãe brasileira. O programa permite que as usuárias importem áudio, vídeos e imagens dos melhores momentos da sua gestação para compartilhamento, adicionem tarefas essenciais e agendem consultas com alertas de antecedência, além de receber informativos sobre o desenvolvimento do bebê dentro do útero semanalmente. “Conseguimos entregar um produto com o qual as mamães possam se entreter e ao mesmo tempo cuidar de forma segura do seu bebê”, ressaltou Jonathan.

O app possui as ferramentas de mobilograma, que faz a contagem dos movimentos do bebê após as refeições (a gestante deitada com a barriga para o lado esquerdo o bebê deve se mexer ao menos três vezes no intervalo de uma hora), e de registro do número de contrações, que pode indicar o início do trabalho de parto e a necessidade de ir à emergência do hospital para atendimento médico. Segundo o desenvolvedor Dennis Rodrigues, “É o único app com a funcionalidade de mobilograma. Além disso, possui swipe cards com sintomas comuns a problemas que podem afetar a saúde da gestante. A tela dos cards de sintomas tem interface similar à do app "Tinder". Se a gestante confirmar que sente algum dos sintomas, é oferecida a opção de mandar uma mensagem ou ligar para o contato de emergência cadastrado”.

Além disso, as mães podem escolher a cor de interface do app de acordo com o sexo do bebê (azul ou rosa), anexar fotos da barriga, do início ao final da gravidez, para gerar e exportar vídeos animados do crescimento da barriga. É possível ainda exportar todas as informações inseridas no aplicativo para seu médico avaliar ou para manter um histórico. “A dificuldade para desenvolver o app foi grande por não entendermos completamente como a gestação deveria ser acompanhada com o auxílio do app. Aprendemos como funciona o pré-natal e o que é importante observar durante o período de gestação”, afirmou Dennis.

O desenvolvedor Jonathan Ferreira também acredita que o desenvolvimento do Mami foi um grande desafio. “Trata-se de um app que interage com a nova mãe em sua fase mais sensível. Tivemos que encontrar a forma mais delicada de interagir com as nossas mamães usuárias de tal forma que sua experiência no app fosse gratificante, por meio de figuras e animações com tema infantil, e informativa, com sessões de dúvidas mais frequentes sobre gestação”, concluiu.

Faça o download gratuito aqui.

Anny Cassimira

Ir para o menu
Encontre tudo
Redes sociais da UCB
Universidade Católica de Brasília
Câmpus I - QS 07 – Lote 01 – EPCT – Taguatinga – Brasília – DF CEP: 71966-700 - (61) 3356-9000
Câmpus Avançado Asa Norte - SGAN 916 Módulo B Avenida W5 - CEP: 70790-160 - Brasília/DF - Telefone: (61) 3448-7116
Câmpus Avançado Asa Sul - SHIGS 702 Conjunto 2 Bloco A, Brasília, Distrito Federal 70330-710, Brasil
Quem faz? Moringa Digital